Você está aqui

Disponível em:EnglishEspañolPortuguês

CEPAL, CGEE, EPE e IEA apresentam panorama dos investimentos em inovação em energias limpas no Brasil

A CEPAL, o CGEE, a EPE e a IEA, realizaram em 23 de outubro o webinar “Big push energético: impulsionando a inovação em energias limpas no Brasil”, no qual apresentaram publicações inéditas sobre investimentos em inovação em energias limpas no Brasil.

22 de dezembro de 2020|Notícia

No dia 23 de outubro de 2020, o Escritório no Brasil da Comissão Econômica para a América e o Caribe (CEPAL) das Nações Unidas, o Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e a Agência Internacional de Energia (IEA), realizaram o webinar “Big push energético: impulsionando a inovação em energias limpas no Brasil”.

O Energy Big Push (EBP) ou Grande Impulso Energia Brasil é uma iniciativa colaborativa que busca fornecer evidências para promover investimentos em inovação rumo a uma transição energética sustentável no país, contribuindo para um Grande Impulso (Big Push) Energético no Brasil.

Coordenada pelo CGEE, EPE, CEPAL e IEA, os achados do EBP são fruto de um esforço coletivo e das contribuições de diversas instituições parceiras e especialistas que trabalham com energia e inovação, com o apoio do Programa de Cooperação entre a CEPAL e o Ministério Federal para a Cooperação Econômica e Desenvolvimento da Alemanha (BMZ) por meio da Cooperação Técnica Alemã (GIZ) e do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI).

O webinar teve como objetivo lançar os relatórios que resultam desse esforço multi-institucional e discutir a natureza e as implicações de seus principais achados para o futuro da inovação em energias limpas no Brasil.

Iniciou-se com uma sessão de abertura de alto nível, com as participações de Thiago Barral, Presidente da EPE; Marcio Miranda, Presidente do CGEE; Mario Cimoli, Secretário-Executivo Adjunto da CEPAL; e Dave Turk, Diretor-Executivo Adjunto em Exercício e Chefe do Escritório de Iniciativas Estratégicas da IEA.

Em seguida, os parceiros do EBP apresentaram os principais achados dos relatórios finais do EBP, disponíveis em português e em inglês. Esses achados são resumidos e integrados no relatório-síntese do EBP: “Um grande impulso para a sustentabilidade no setor energético do Brasil: subsídios e evidências para a coordenação de políticas”.

Camila Ferraz, Analista de Pesquisa Energética EPE, apresentou os esforços pioneiros realizados para melhor compreender os investimentos em P&D no Brasil, incluindo os volumes dispendidos em diferentes áreas tecnológicas e as tendências nos últimos anos, conforme o relatório “Panorama dos investimentos em inovação em energia no Brasil: dados para um grande impulso energético”.

Barbara Bressan, Assessora Técnica CGEE, discutiu os impactos técnicos, econômicos, ambientais e sociais que podem ser esperados de investimentos em tecnologias de baixo carbono selecionadas, segundo o relatório “Indicadores de desempenho associados a tecnologias energéticas de baixo carbono no Brasil: evidências para um grande impulso energético”.

Carlos Mussi, Diretor do Escritório da CEPAL no Brasil, destacou os principais achados sobre o quadro de políticas, baseado nas características-chave das experiências de países selecionados e diretrizes estratégicas que poderiam promover investimentos em inovação em energias limpas, de acordo com o relatório “Mecanismos de incentivo à inovação em energias limpas no Brasil: caminhos para um grande impulso energético”.

Houve também um painel de discussões com Fernanda de Negri, Pesquisadora do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA; Aurélio Calheiros de Melo Júnior, Coordenador do Programa de P&D na Superintendência de Pesquisa e Desenvolvimento e Eficiência Energética da Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL;  Fabio Stallivieri, Assessor da Diretoria, Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial – Embrapii; e Jean-Baptiste Le Marois, Oficial de Inovação em Energia, IEA.

O encerramento destacou os próximos passos e contou com as presenças de Eduardo Soriano, Diretor do Departamento de Tecnologias Estruturantes MCTI, e Agnes da Costa, Chefe da Assessoria Especial em Assuntos Regulatórios, Ministério de Minas e Energia – MME.

 

Links relacionados:

Relatórios finais do Energy Big Push (Grande Impulso Energia) Brasil em português:

Relatórios finais do Energy Big Push (Grande Impulso Energia) Brasil em inglês: